• EN
  • Ajuda Contextual
  • Facebook
  • Instagram
  • Youtube
Você está em: Início > Cursos > Unidades Curriculares > M2108

Organização Comunitária, Associativismo e Integração Social dos Idosos


Código: M2108    Sigla: M2108

Ocorrência: 2018/19 - 2S

Cursos

Sigla Nº de Estudantes Plano de Estudos Anos Curriculares Créditos Horas Contacto Horas Totais
MGS 15 Plano oficial desde 2007/2008 7,5 ECTS 0 0

Horas Efetivamente Lecionadas

1TMGS

Teórico-Práticas: 45,00

Docência - Horas

Teórico-Práticas: 3,00

Tipo Docente Turmas Horas
Teórico-Práticas Totais 1 3,00
Paula Cristina Salgado Pereira Rodrigues Vieira   3,00

Língua de Ensino

Português

Objectivos, Competências e Resultados de aprendizagem

- Incentivar a reflexão sobre os actuais fenómenos de enfraquecimento da coesão social e das organizações colectivas e seus efeitos não somente em matéria de marginalização social dos idosos, como de emergência de problemas sociais.
- Aprofundar os conhecimentos acerca das potencialidades do associativismo e de outras formas de organização colectiva para a (re)construção de laços intergeracionais e a revalorização do papel social dos idosos.
- Identificar saberes processuais e saberes-fazer necessários para contribuir para a formação/dinamização de actores colectivos.

Programa

1. A associação e o seu potencial para intensificar os laços sociais (interclassistas e intergeracionais), ampliar a participação cívica e sustentar a criação de actividades económicas.
2. Implicação dos idosos num programa de desenvolvimento social e cultural de base territorial: uma via para fomentar o relacionamento intergeracional:
- Realização do diagnóstico de necessidades e de problemas sociais numa dada área residencial;
- Realização do diagnóstico dos equipamentos a serem criados;
- Angariação dos recursos indispensáveis à sua implementação;
- Gestão dos equipamentos e manutenção do seu funcionamento;
- Prestação de serviços nesses equipamentos.
3. Participação em estruturas vocacionadas para causas colectivas, um recurso para restaurar os sentimentos de utilidade social e de pertença e revalorizar a identidade social dos idosos.
4. Criação de associações ou grupos de entreajuda dos familiares de idosos, uma via para enriquecer a sociabilidade dos idosos ¿frágeis¿ e ¿dependentes¿.

Demonstração da Coerência dos Conteúdos Programáticos com os Objetivos da UC

Muitos dos problemas enfrentados na actualidade pelos idosos, problemas decorrentes da extensão e intensificação da pobreza e exclusão social, do individualismo crescente, do enfraquecimento das solidariedades tradicionais e da tendência para o retorno ao mercado como lugar de satisfação das necessidades, reforçam o papel da associação enquanto estratégia de resposta a esses mesmos problemas. Daí a importância de dotar os interventores sociais dos instrumentos analíticos e operativos que os sensibilize para as virtualidades desta forma de acção colectiva neste domínio específico da intervenção social e que simultaneamente os prepare para saber estimulá-la e/ou dinamizá-la.

Métodos de Ensino

Sessões de trabalho que contemplam uma abordagem, pela docente, dos conteúdos programáticos da unidade curricular, articulando-se depois esta exposição teórica com a ilustração empírica (exemplificação), aberta à participação dos mestrandos.


Modo de Avaliação

Avaliação apenas com exame final

Avaliação Contínua

A classificação tem por base a elaboração de dois pequenos trabalhos individuais: um sintetizando os principais conteúdos trabalhados - ou então aprofundando alguns deles - sobre o potencial do associativismo para promover a integração social dos idosos; e outro dando conta da concretização ou não desse potencial, a partir da caracterização do funcionamento de uma associação de solidariedade social concreta.

Demonstração da Coerência das Metodologias de Ensino com os Objetivos de Aprendizagem da Unidade Curricular

Um Uma vez que com a disciplina se pretende que os alunos se apropriem de um conjunto de novos conhecimentos, considera-se indispensável investir na sua exposição de uma forma que se pretende estruturada e coerente, tornando-os inteligíveis e, deste modo, apreensíveis. Isto não invalida, contudo, que se combinem estes momentos com outros, complementares e seguramente de maior implicação e exigência para os alunos, em que são desafiados a organizar e mobilizar os referidos conhecimentos perante problemas/exercícios concretos.

  U