• EN
  • Ajuda Contextual
  • Facebook
  • Instagram
  • Youtube
Você está em: Início > Cursos > Unidades Curriculares > M2107

Metodologia de Investigação/Intervenção Social


Código: M2107    Sigla: M2107

Ocorrência: 2018/19 - 2S

Cursos

Sigla Nº de Estudantes Plano de Estudos Anos Curriculares Créditos Horas Contacto Horas Totais
MGS 15 Plano oficial desde 2007/2008 5 ECTS 0 0

Horas Efetivamente Lecionadas

1TMGS

Teórico-Práticas: 30,00

Docência - Horas

Teórico-Práticas: 2,00

Tipo Docente Turmas Horas
Teórico-Práticas Totais 1 2,00
Mónica Alexandra Vidal Teixeira   2,00

Língua de Ensino

Português

Objectivos, Competências e Resultados de aprendizagem

Aprofundar a reflexão acerca da articulação entre investigação e intervenção, designadamente através do estudo das metodologias de investigação-acção. Capacitar os estudantes para a elaboração de projectos de intervenção inovadores, decorrente de um processo de trabalho em contacto com algumas estruturas da realidade, pressupondo a: - realização de um diagnóstico da situação social pela construção de uma problemática teórica interdisciplinar de análise que integre as várias dimensões implicadas na produção dos fenómenos de vulnerabilidade social que atingem indivíduos/grupos sociais, contemplando um conjunto de hipóteses teóricas que sejam traduzidas num articulado de hipóteses operacionais que permitam orientar o interventor social no combate aos problemas concretos (de modo a atenuar os factores que estão na génese dos problemas concretos) e que sejam a base da: - definição de objectivos; - elaboração dos programas de acção; - organização dos dispositivos; - escolha dos métodos de intervenção e das estratégias de desenvolvimento; - criação de um dispositivo de avaliação dinâmica.

Programa

1. Produção de conhecimento e acção social 1.1 Constituir a prática de intervenção em objecto de conhecimento científico. 1.2 As metodologias de investigação-acção: instrumentos ao serviço da transformação das práticas profissionais e institucionais. 1.3 Da análise de uma situação sócio-institucional à acção: hipóteses teóricas, hipóteses operacionais, objectivos, métodos e estratégias de intervenção, elaboração de programas e dispositivos de acção, avaliação. Sendo os principais objectivos da disciplina o aprofundamento da reflexão acerca da articulação entre investigação e intervenção, designadamente através do estudo das metodologias de investigação-acção, o programa centra-se na produção de conhecimento e acção social. Considerando a importância de constituir a acção em objecto de conhecimento e de pensar projectos de intervenção social inovadores, pretende-se fomentar competências em matéria de pesquisa/acção, as quais requerem não somente um efectivo domínio da metodologia de investigação científica mas, ainda, outras competências necessárias à construção de projectos de acção inovadores. A abordagem dos problemas da metodologia de projecto que constitui a prática de intervenção social como objecto de conhecimento, permite que os alunos façam a aplicação integrada dos conhecimentos e das competências adquiridos a situações em que estão envolvidos em algumas estruturas da realidade. Como o mestrado pressupõe a realização de uma dissertação ou de um trabalho de projecto ou de um relatório de estágio pretende-se que esta disciplina forneça elementos cruciais de abordagem de questões metodológicas.

Métodos de Ensino

Mobilizam-se métodos de ensino que articulam a exposição e a problematização colectiva das matérias, com outras sessões mais práticas que permitam que os alunos façam a consolidação das aprendizagens de questões metodológicas essenciais para a realização do seu trabalho final de mestrado. Assim, a disciplina funciona com sessões de trabalho teórico-práticas, por meio da utilização de metodologias expositivas, suportadas por elementos convencionais e multimédia, e com sessões mais práticas de discussão alargada de textos e de análise de documentos. De referir que outras sessões se dirigem à apresentação de projectos de investigação/acção realizados na área da gerontologia social e na área das ciências sociais e saúde, tendo como objectivo promover um debate colectivo problematizador de diversas matérias curriculares e que os alunos iniciem a definição do seu próprio projecto, a realizar no 3º semestre do mestrado. Plano de avaliação: elaboração de um trabalho que constitui uma primeira proposta referenciadora das questões metodológicas a seguir no desenvolvimento do trabalho final. Este trabalho deve ter por base a realização de uma ficha de leitura. Sendo o principal objectivo da disciplina a actualização dos conhecimentos sobre a metodologia de investigação-acção, o processo de ensino-aprendizagem implica o cumprimento das seguintes condições: - uma abordagem em torno dos elementos que integram a metodologia de projecto, principalmente preocupada com o desenvolvimento de competências para saber pensar a intervenção social no campo da gerontologia e das ciências sociais e saúde; - a mobilização da experiência de intervenção social dos alunos decorrente de um processo de trabalho em contacto com algumas estruturas da realidade; - o lançamento das bases do trabalho dos alunos na elaboração do trabalho, a realizar no 3º semestre do mestrado. Assim, nas aulas predominam os métodos activos, devidamente sustentados pelo recurso ao método expositivo, para o aprofundamento dos conhecimentos em torno dos processos de investigação/intervenção social. A organização de algumas aulas com o convite a investigadores/interventores sociais especializados na área da gerontologia e da saúde, possibilita um exercício de demonstração de aplicação do processo que está subjacente à metodologia de investigação/acção.


Modo de Avaliação

Avaliação apenas com exame final

Demonstração da Coerência das Metodologias de Ensino com os Objetivos de Aprendizagem da Unidade Curricular

Bibliografia: Barbier, J.M., Savoirs théoriques et savoirs d¿action, Paris, PUF, 1996. Barbier, R., La recherche-action, Paris, Edição Anthropos, 1996. Gaulejac, V. de, L¿Histoire en Héritage. Roman familier et trajectoires sociales. Paris, Desclée de Brouwer, 1999. Gaulejac, V., Bonetti, M., Fraisse, J., L¿ingénierie sociale, Paris, Syros, 1995. Gauthier, Benoit (org.), Investigação Social : da problemática à colheita de dados, Loures. Lusociência ¿ Edições Técnicas e Científicas, 2003 Guerra, I., Fundamentos e Processos de uma Sociologia da Acção, Lisboa, Principia, 2000. Martin, C., Les recherches-actions sociales, Paris, La Documentation Française, 1985. Pinto, J. Madureira, «Questões de metodologia sociológica», in: Cadernos das Ciências Sociais nº 1,2 e 3, Porto, Afrontamento, 1984 e 1985. Quivy, R., Van Campenhoudt, L., Manual de Investigação em Ciências Sociais, Lisboa, Gradiva, 1995. Silva, A., Santos, Pinto, J. Madureira, Metodologia das Ciências Sociais, Porto, Afrontamento, 1986.