• EN
  • Ajuda Contextual
  • Facebook
  • Instagram
  • Youtube
Você está em: Início > Cursos > Unidades Curriculares > M2102

Psicologia e Psicopatologia do Envelhecimento


Código: M2102    Sigla: M2102

Ocorrência: 2018/19 - 1S

Cursos

Sigla Nº de Estudantes Plano de Estudos Anos Curriculares Créditos Horas Contacto Horas Totais
MGS 14 Plano oficial desde 2007/2008 7,5 ECTS 0 0

Horas Efetivamente Lecionadas

1TMGS

Teóricas: 15,00

Docência - Horas

Teóricas: 3,00

Tipo Docente Turmas Horas
Teóricas Totais 1 3,00
Nuno Márcio de Campos Pires   3,00

Língua de Ensino

Português

Objectivos, Competências e Resultados de aprendizagem

O objectivo geral da Unidade Curricular é capacitar os alunos com conhecimentos fundamentais sobre o processo de envelhecimento desde uma perspectiva psicológica. Mais especificamente, que sejam capazes de: (i) descrever e analisar as principais mudanças decorrentes do processo de envelhecimento ao nível cognitivo, psicoafectivo e psicossocial, com base nas principais abordagens teóricas da Geropsicologia; (ii) compreender e explicar os pressupostos teóricos e conceitos associados ao modelo de "Envelhecimento Bem-Sucedido" e "Envelhecimento Ativo"; (iii) identificar e compreender as síndromes psicopatológicas mais comuns na população idosa, considerando as especificidades da sua manifestação clínica.

Programa

  1. Introdução à Geropsicologia e à Geropsicologia Clínica: objecto, conceitos e temáticas centrais de estudo e intervenção.
  2. Ageism: atitudes e comportamentos de discriminação em relação às pessoas idosas, mecanismos de manutenção e consequências
  3. Adaptações ao envelhecimento: vulnerabilidade e adaptações à velhice, resiliência, envelhecimento bem-sucedido e o modelo SOC (optimização selectiva com compensação, equilíbrio psíquico; distress psicológico (ansiedade e depressão), perdas e luto (normal vs patológico)
  4. Envelhecimento ativo: pilares, determinantes, autonomia, independência, qualidade de vida, contributo social dos idosos e envelhecimento produtivo.
  5. Dinâmicas sócio-familiares na velhice: redes sociais e de apoio, solidão, relações intra e interoperacionais, cuidados informais
  6. Perturbações neurocognitivas: DCL, delirium, D. Alzheimer, D. Vascular, outras
  7. Muito Idosos e centenários: especificidades psicossociais e de saúde, desafios da longevidade avançada

Bibliografia Principal

Paúl, C. & Ribeiro, O. (coord.);Manual de Gerontologia, Lisboa: Lidel, 2012
Poon, L.W. & Cohen-Mansfield, J. (Eds.);Understanding Well-Being in the Oldest Old, USA: Cambridge University Press, 2011
Depp, C.A. & Jeste, D.V.;Successful Cognitive and Emotional Aging, USA: American Psychiatric Publishing, 2009
Marchand, H.;Temas de Desenvolvimento Psicológico do Adulto e do Idoso, Coimbra: Quarteto Editora, 2001
Fonseca, A.M. ;Desenvolvimento Humano e Envelhecimento, Lisboa: Climepsi Editores, 2004
Spar, J. & LaRue, A.;Guia Prático de Psiquiatria Geriátrica, Lisboa: Climepsi Editores, 2005
Marques, S. ;Discriminação da Terceira Idade, Lisboa: Fundação Fracisco Manuel dos Santos, 2011
Ribeiro, O. & Paúl,. C. (coord.) ;Manual de Envelhecimento Activo, Lisboa: Lidel, 2011
Viegas, S. & Gomes, C.;A Identidade na Velhice, Coimbra: Ambar, 2007
Birren, J. & Schaie, K. (Eds.);Handbook of Psychology of Aging, 6th Edition, San Diego (USA): Academic Press, 2006
Fernández-Ballesteros, R. (Ed.);Geropsychology: European Perspectives for an Aging World, Germany: Hogrefe, 2007
Pachana, N., Laidlaw, K. & Knight, B. ;Casebook of Clinical Geropsychology: International Perspectives, London: Oxford University Press, 2010
Lazarus, R.S. & Lazarus, B.N.;Coping with Aging, New York: Oxford University Press, 2006
Lima, M. L., Marques, S., Batista, M. & Ribeiro, O.;Idadismo na Europa. Uma abordagem psicossociológica com o foco no caso Português. Relatório I., Lisboa: EURAGE – European Research Group on Attitudes to Age, 2010 (http://www.ienvelhecimento.ul.pt/images/Relatorios/relatorioidadismo_i_iscte.pdf)
WHO;Active Ageing: a Policy Framework, World Health Organization, 2002 (http://whqlibdoc.who.int/hq/2002/WHO_NMH_NPH_02.8.pdf)
Poon, L.W. & Cohen-Mansfield, J. (Eds.);Understanding Well-Being in the Oldest Old, USA: Cambridge University Press, 2011
Paúl, C. & Ribeiro, O. (coord.);Manual de Gerontologia, Lisboa: Lidel, 2012
Fernández-Ballesteros, R.;Envejecimiento Activo: Contribuciones de la Psicología, Madrid: Pirámide, 2009
Depp, C.A. & Jeste, D.V.;Successful Cognitive and Emotional Aging, USA: American Psychiatric Publishing, 2009
Marchand, H.;Temas de Desenvolvimento Psicológico do Adulto e do Idoso, Coimbra: Quarteto Editora, 2001
Fonseca, A.M. ;Desenvolvimento Humano e Envelhecimento, Lisboa: Climepsi Editores, 2004
Spar, J. & LaRue, A.;Guia Prático de Psiquiatria Geriátrica, Lisboa: Climepsi Editores, 2005
Marques, S. ;Discriminação da Terceira Idade, Lisboa: Fundação Fracisco Manuel dos Santos, 2011
Ribeiro, O. & Paúl,. C. (coord.) ;Manual de Envelhecimento Activo, Lisboa: Lidel, 2011
Viegas, S. & Gomes, C.;A Identidade na Velhice, Coimbra: Ambar, 2007
Birren, J. & Schaie, K. (Eds.);Handbook of Psychology of Aging, 6th Edition, San Diego (USA): Academic Press, 2006
Fernández-Ballesteros, R. (Ed.);Geropsychology: European Perspectives for an Aging World, Germany: Hogrefe, 2007
Pachana, N., Laidlaw, K. & Knight, B. ;Casebook of Clinical Geropsychology: International Perspectives, London: Oxford University Press, 2010
Lazarus, R.S. & Lazarus, B.N.;Coping with Aging, New York: Oxford University Press, 2006
Lima, M. L., Marques, S., Batista, M. & Ribeiro, O.;Idadismo na Europa. Uma abordagem psicossociológica com o foco no caso Português. Relatório I., Lisboa: EURAGE – European Research Group on Attitudes to Age, 2010 (http://www.ienvelhecimento.ul.pt/images/Relatorios/relatorioidadismo_i_iscte.pdf)
WHO;Active Ageing: a Policy Framework, World Health Organization, 2002 (http://whqlibdoc.who.int/hq/2002/WHO_NMH_NPH_02.8.pdf)
Poon, L.W. & Cohen-Mansfield, J. (Eds.);Understanding Well-Being in the Oldest Old, USA: Cambridge University Press, 2011
Paúl, C. & Ribeiro, O. (coord.);Manual de Gerontologia, Lisboa: Lidel, 2012
Fernández-Ballesteros, R.;Envejecimiento Activo: Contribuciones de la Psicología, Madrid: Pirámide, 2009
Depp, C.A. & Jeste, D.V.;Successful Cognitive and Emotional Aging, USA: American Psychiatric Publishing, 2009
Marchand, H.;Temas de Desenvolvimento Psicológico do Adulto e do Idoso, Coimbra: Quarteto Editora, 2001
Fonseca, A.M. ;Desenvolvimento Humano e Envelhecimento, Lisboa: Climepsi Editores, 2004
Spar, J. & LaRue, A.;Guia Prático de Psiquiatria Geriátrica, Lisboa: Climepsi Editores, 2005
Marques, S. ;Discriminação da Terceira Idade, Lisboa: Fundação Fracisco Manuel dos Santos, 2011
Ribeiro, O. & Paúl,. C. (coord.) ;Manual de Envelhecimento Activo, Lisboa: Lidel, 2011
Viegas, S. & Gomes, C.;A Identidade na Velhice, Coimbra: Ambar, 2007
Birren, J. & Schaie, K. (Eds.);Handbook of Psychology of Aging, 6th Edition, San Diego (USA): Academic Press, 2006
Fernández-Ballesteros, R. (Ed.);Geropsychology: European Perspectives for an Aging World, Germany: Hogrefe, 2007
Pachana, N., Laidlaw, K. & Knight, B. ;Casebook of Clinical Geropsychology: International Perspectives, London: Oxford University Press, 2010
Lazarus, R.S. & Lazarus, B.N.;Coping with Aging, New York: Oxford University Press, 2006
Lima, M. L., Marques, S., Batista, M. & Ribeiro, O.;Idadismo na Europa. Uma abordagem psicossociológica com o foco no caso Português. Relatório I., Lisboa: EURAGE – European Research Group on Attitudes to Age, 2010 (http://www.ienvelhecimento.ul.pt/images/Relatorios/relatorioidadismo_i_iscte.pdf)
WHO;Active Ageing: a Policy Framework, World Health Organization, 2002 (http://whqlibdoc.who.int/hq/2002/WHO_NMH_NPH_02.8.pdf)
Fernández-Ballesteros, R.;Envejecimiento Activo: Contribuciones de la Psicología, Madrid: Pirámide, 2009

Observações Bibliográficas

À bibliografia principal são adicionados artigos científicos a disponibilizar pelo docente.

Métodos de Ensino

Considerando-se o compromisso assumido enquanto objectivo para a unidade curricular de promover a compreensão tão profunda quanto possível dos fenómenos psicológicos constantes no programa, a uma abordagem expositiva introdutória dos conceitos realizada pelo docente, seguir-se-ão, dependendo da temática, a análise (individual ou em pequeno grupo) de estudos de caso seguida de debate alargado. A metodologia de ensino considera também a exploração pedagógica de material audiovisual (e.g. documentários) e a análise orientada de material científico (artigos e capitulos de livros, relatórios nacionais e internacionais).


Modo de Avaliação

Avaliação distribuída com exame final

Avaliação Final

A avaliação final corresponde à média ponderada de um trabalho escrito (60%) e de um teste escrito individual (40%).