• EN
  • Ajuda Contextual
  • Facebook
  • Instagram
  • Youtube
Você está em: Início > Cursos > Unidades Curriculares > GS3107

Estágio V


Código: GS3107    Sigla: E5

Ocorrência: 2018/19 - 1S

Área de Ensino: Gerontologia Aplicada

Cursos

Sigla Nº de Estudantes Plano de Estudos Anos Curriculares Créditos Horas Contacto Horas Totais
LGS 6 Despacho 6311/08 de 05 de Março 8 ECTS

Horas Efetivamente Lecionadas

3Turma

Trabalho de Campo: 0,00
Seminário: 45,00

Docência - Horas

Trabalho de Campo: 0,00
Seminário: 3,00

Tipo Docente Turmas Horas
Trabalho de Campo Totais 1 0,00
Mónica Alexandra Vidal Teixeira   0,00
Seminário Totais 1 3,00
Mónica Alexandra Vidal Teixeira   3,00

Língua de Ensino

Português

Objectivos, Competências e Resultados de aprendizagem

Pretende-se que o aluno mobilize conhecimentos e treine competências relativas ao trabalho com idosos, governos locais e organizações comunitárias em prol do desenvolvimento de territórios amigos das pessoas idosas. Espera-se que seja capaz de: (i) analisar dinâmicas das atuais configurações demográficas e familiares e seu impacto na solidariedade social e interdependência; (ii) reconhecer que as condições de vida dos mais velhos e suas famílias são influenciadas pelas políticas locais e globais; (iii) desenhar um estudo na comunidade utilizando métodos e procedimentos de recolha de dados que produzam conhecimento gerontológico fiável e válido; (iv) realizar um diagnóstico que evidencie potencialidades e fragilidades da comunidade, espelhando as visões dos vários interlocutores; (v) reconhecer os princípios e valores éticos inerentes ao exercício profissional e à investigação com pessoas idosas; (vi) desenvolver relações de cooperação com vários agentes e entidades da comunidade

Programa



1.Modos de conhecer e fazer em gerontologia social 1.1 O envelhecimento experienciado num determinado contexto comunitário ¿ aprofundar o impacto que as mudanças que se têm vindo a operar nas estruturas demográfica e familiar produzem nas comunidades locais e os desafios que colocam à construção de políticas e projectos de protecção das pessoas idosas 1.2 A condução dos processos de integração e participação nos contextos de estágio, atendendo às particularidades dos contextos locais e do trabalho de articulação entre equipas, projectos, agentes privilegiados da comunidade e pessoas idosas 1.3 Construção de diagnósticos sócio locais através de uma avaliação multidimensional que espelhe as particularidades dos contextos ¿ instrumentos de recolha e análise de dados (grelhas de observação; guião de entrevista; inquéritos à população; análise de documentos e estatísticas existentes) 1.4 Análise integrada da informação recolhida.

Bibliografia Principal

López, S. M. M. & Haro, A. E.;Alternativas socioeducativas para las personas mayores, Madrid: Dykinson, 2009
Fernandes, R.;Avaliação comunitária de uma população de idosos: da funcionalidade à utilização de serviços, Coimbra: Mar da Palavra , 2009
Pearce, B.W;Senior living communities: Operations management and marketing for assisted living, congregate, and continuing-care retirement communities, Maryldand:The John Hopkins University Press, 2000
Friedrich, D.;Successful aging: integrating contemporary ideas research findings, and intervention strategies, Springfield: Charles C. Thomas Publisher, 2001
Pereira, J. D. L., Lopes, M. S. & Rodrigues, T. M.;Animação sociocultural, gerontologia e geriatria: a intervenção social, cultural e educativa na terceira idade, Chaves: Intervenção-Associação para a Promoção e Divulgação Cultural, 2013
Foote, C & Stanners, C.;Integrating care for older people: new care for old: a systems approach, approach. London: Jessica Kingsley Publishers, 2005

Observações Bibliográficas

Todos os títulos estão disponíveis na biblioteca do ISSSP

Métodos de Ensino


Pretende-se que os alunos tenham oportunidade de observar e debater problemas inerentes à prática, traduzindo saberes teóricos em programas de acção, em permanente aperfeiçoamento. Assim, as aulas serão do tipo teórico-prático, assentes em estratégias pedagógicas que favoreçam a aprendizagem activa e a problematização das experiências observadas nos estágios; exposição de conteúdos com recurso a elementos convencionais e multimédia; debates ou trabalhos de grupo sobre acções a planear e a desenvolver; role-playing em torno do treino de competências direccionadas para o enfrentamento de situações reais; discussão orientada de textos científicos e seminários direccionados para o conhecimento de projectos diversificados nesta área.


Modo de Avaliação

Avaliação distribuída sem exame final

Avaliação Contínua


De acordo com o n.º2 do artigo 9º, capítulo II do Regulamento de Avaliação de Conhecimentos (RAC), a disciplina de Estágio é obrigatoriamente de avaliação contínua. 
Nas disciplinas de avaliação contínua, os alunos só poderão faltar a um máximo de 20% do total de aulas em cada disciplina (nº9 do artigo10º do RAC). O limite de faltas para o trabalho de terreno é de 5% do total de horas previstas e de 10% do total de horas previstas para os alunos abrangidos pelos estatutos de trabalhador estudante (lei 116/1997) e de apoio social a mães e pais estudantes (lei 90/2001). A avaliação é contínua, integrando: trabalhos realizados ao longo do semestre; assiduidade e participação ativa nas aulas e no estágio; relatório final. A avaliação integrará também o parecer do orientador local, relativamente ao desempenho do aluno no estágio.

Avaliação Final

A avaliação da disciplina de Estágio V será o resultado das seguintes ponderações: 50% da nota ¿ qualidade do trabalho de terreno; 40% da nota -relatório de estágio; 10% da nota - participação activa nas aulas. O apuramento da nota final faz-se através da média ponderada.

 



Demonstração da Coerência das Metodologias de Ensino com os Objetivos de Aprendizagem da Unidade Curricular

Observações - O atendimento aos alunos decorre no Gabinete 6.  A docente ajusta o seu horário às necessidades dos alunos, particularmente dos trabalhadores-estudantes. Poderão contactar a docente por email ou telemóvel.