• EN
  • Ajuda Contextual
  • Facebook
  • Instagram
  • Youtube
Você está em: Início > Cursos > Unidades Curriculares > GS3102

Psicopatologia do Envelhecimento II


Código: GS3102    Sigla: PE2

Ocorrência: 2018/19 - 1S

Área de Ensino: Psicologia

Cursos

Sigla Nº de Estudantes Plano de Estudos Anos Curriculares Créditos Horas Contacto Horas Totais
LGS 6 Despacho 6311/08 de 05 de Março 3 ECTS

Horas Efetivamente Lecionadas

3Turma

Teórico-Práticas: 22,00

Docência - Horas

Teórico-Práticas: 2,00

Tipo Docente Turmas Horas
Teórico-Práticas Totais 1 2,00
Maria Teresa Soares Souto   2,00

Língua de Ensino

Português

Objectivos, Competências e Resultados de aprendizagem

Ampliar a compreensão do envelhecimento humano à luz dos conceitos de saúde mental e psicopatologia, com enfoque particular nas perturbações afectivas e nos distúrbios emocionais: (i) Promover a discussão junto dos alunos dos conceitos de perturbação clínica e sub-clinica no âmbito da geropsicologia; (ii) Familiarizar os alunos com os critérios de diagnóstco das síndromes psicopatológicas mais comuns na 3ª idade, evidenciando as suas especificidades; (iii) Desenvolver nos alunos competências elementares para o trabalho gerontológico junto da população idosa com perturbação mental (screening e intervenção psicossocial).

Programa

1. Perturbações emocionais no adulto idoso:

1.1. Estados depressivos e ansiosos
1.2. Luto normal, luto complicado/patológico e perturbações da adaptação
1.3. Depressão e suicidio
1.4. Doença bipolar

2. Outras condições clínicas
2.1. Perturbações do sono 
2.2. Alcoolismo e outras dependências
2.3. Conduta acumuladora e Síndrome de Diógenes

3. Perturbações da Personalidade (considerações gerais).

Bibliografia Principal

Whitbourne, SK.;Psychopathology in Later Adulthood, USA: John Wiley & Sons Inc, 2000
Firmino, H., Simões, M. & Cerejeira, J. (coord);Saúde Mental das Pessoas Idosas, Lisboa: Lidel, 2016
Firmino, H. et al (coord);Psicogeriatria, Editora Psiquiatria Geriátrica, 2006
Correia, DT (coord);Manual de psicopatologia, Lisboa: Lidel, 2013
Ortiz, LA., Ballesteros, JC. & Carrasco, M.; "Psiquiatria Geriátrica, 2ª edición", Barcelona: Masson SA, 2006
Spar, J & La Rue, A.;Guia Prático de Psiquiatria Geriátrica, Lisboa: Climepsi Editores, 2005

Bibliografia Complementar

Karel, M.J., Ogland-Hand, S. & Gatz, M.;Assessing and Treating Late-Life Depression, USA: Basic Books, 2002
OMS;Classificação de Transtornos Mentais e de Comportamento da CID-10: Descrições Clínicas e Directrizes Diagnósticas., 1993
Pachana, P., Laidlaw, K. & Knight, B.;Casebook of Clinical Geropsychology , London: Oxford University Press, 2010
APA;Manual de Diagnóstico e Estatístico das Perturbações Mentais, 5ª edição (DSM-5), Lisboa: Climepsi Editores, 2014

Observações Bibliográficas

À bibliografia principal acrescem outros textos científicos (artigos, capítulos, relatórios) disponibilizados pelo docente

Métodos de Ensino

Aulas expositivas e discussão de casos. Exploração pedagógica de material audiovisual e de casos clínicos.


Modo de Avaliação

Avaliação apenas com exame final

Componentes de Avaliação e Ocupação registadas

Descrição Tipo Tempo (horas) Data de Conclusão
Participação presencial (estimativa)  Aulas  30
  Total: 30

Avaliação Contínua

A disciplina de Psicopatologia do Envelhecimento II é uma disciplina de avaliação distribuída (de acordo com o artigo 11º do Regulamento de Avaliação de Conhecimentos - RAC do ISSSP). Deste modo:  (i) Os estudantes inscritos em avaliação distribuída terão que assistir a 75% do número total de aulas, excepto os alunos abrangidos pelos regulamentos especiais, nomeadamente a lei 116/1997 e lei 90/2001. (ii) Os estudantes serão avaliados através de 2 provas escritas individuais, com peso de 50% cada uma. (iii) Serão aprovados os estudantes que obtenham uma classificação final igual ou superior a dez valores (10), e desde que nas classificações parcelares tenham a nota mínima de seis valores e meio (6,5).  (iv) Os estudantes que obtiverem nota inferior a seis valores e meio (6,5) numa das classificações parcelares (a excepção da última prova realizada) passam automaticamente para exame final.  (v) Os estudantes que reprovem na avaliação distribuída só poderão realizar o exame nas épocas de recurso e extraordinária. (vi) Os estudantes abrangidos pelos estatutos de trabalhador estudante (lei 116/1997) e de apoio social a mães e pais estudantes (lei 90/2001) poderão combinar um plano de acompanhamento com os docentes, de forma a poderem cumprir os requisitos de aprendizagem e aplicação prática, sem os quais não poderão ser avaliados. [OBS: O Plano de acompanhamento deve ser formalmente requerido].

Avaliação Final

A classificação final, expressa numa escala de 0 a 20 valores, é resultante da realização de uma prova em época de exames (100%).

Esta prova avalia todos os conteúdos programáticos leccionados na unidade curricular

Provas e Trabalhos Especiais

Não aplicável.